Controle de custos na empresa: como fazer?
Controle de custos na empresa: como fazer?
julho 30, 2019
3 dicas para o crescimento empresarial nos últimos meses de 2019
3 dicas para o crescimento empresarial nos últimos meses de 2019
agosto 29, 2019

Regime tributário: como escolher o ideal para minha empresa?

Regime tributário: como escolher o ideal para minha empresa?

A escolha do regime tributário ideal para a sua empresa é uma tarefa muito importante. Pois cada empresa se encaixa melhor em um esquema de tributação e escolher de forma correta e consciente proporciona maior facilidade e segurança para o seu negócio. Além disso é possível economizar no pagamento de impostos com o planejamento tributário.

Se você está em dúvida sobre qual tributação é melhor para a sua empresa, esse artigo é para você. Continue a leitura e entende melhor sobre os regimes tributários.

Quais são os regimes tributários existentes?

Lucro Real – nesse sistema, o imposto de renda e contribuição social são deduzidos a partir do valor de lucro líquido, após a demonstração contábil. A alíquota é de 15% sobre o lucro real bruto (aquele obtido antes do pagamento dos impostos).

Nessa forma de tributação descontam-se os impostos mensalmente, de acordo com os percentuais estabelecidos pela atividade empresarial exercida. No final do ano é calculado o lucro real e sobre ele é definido o valor destinado aos impostos, descontando os valores pagos todos os meses.

Lucro Presumido – na modalidade de lucro presumido o IRPJ e a CSLL são calculados a partir de uma receita bruta. A margem de lucro é determinada por lei, a partir de percentuais determinados para cada ramo de atividade. O PIS e Cofins também são calculados de forma cumulativa, com alíquota de 3,65% em cima do faturamento.

Como os impostos são calculados a partir de um lucro previsto, os impostos seguem sendo calculados a partir de um valor presumido. Lembrando que a empresa poderá ter uma receita bruta anual de até R$ 78 milhões.

Simples Nacional – Nascido em 2006, ele tem o objetivo de, como o próprio nome diz, simplificar o pagamento dos tributos por parte dos empresários. O Simples Nacional auxilia, principalmente, as Microempresas – ME,  Empresas de Pequeno Porte – EEP e os Microempreendedores Individuais – MEI.

Todos os tributos são pagos em uma única guita (a DAS) e a tributação varia de acordo com a atividade exercida, com alíquotas que variam entre 4,5% a 16,93%Mas para ser uma empresa no Simples, a receita bruta da empresa não pode ultrapassar os R$ 4,8 milhões anuais nos casos de ME e EPP. Já o microempreendedor individual não pode ter receita bruta acima de R$ 81 mil anuais.

O que devo considerar na escolha?

Possibilidades de tributação

Mesmo que o empresário já saiba qual tributação deseja encaixar no seu negócio, é preciso estudar todas as possibilidades, escolhendo a mais vantajosa. Isso, pois existem casos em que, mesmo com o lucro inferior a R$ 78 milhões o regime indicado ainda é o Lucro Real e não o Presumido.

Análise da margem de lucro

Mesmo o faturamento anual sendo levado em conta, é interessante analisar a margem de lucro do negócio. Porque o empresário já vai saber a porcentagem que irá incidir de tributação em sua empresa.

Créditos Tributários

No regime de Lucro Real, por exemplo, as alíquotas são mais altas, mas existe a possibilidade de a empresa ter créditos tributários. Verifique essa questão antes da escolha.

Tenha um parceiro contábil ao lado

Nesse momento o respaldo de um escritório de contabilidade é muito importante. Pois como especialistas, poderão dar panoramas diferenciados de cada regime tributário para que sua escolha seja sempre a mais assertiva.

Se ainda tem dúvidas sobre o melhor regime tributário para o seu negócio? Fale com a Praxis. Clique aqui e converse com os nossos especialistas.