O que é um CNPJ inapto e como reverter isso?
O que é um CNPJ inapto e como reverter isso?
março 2, 2021
IRPF para investidores: o que você precisa saber
IRPF para investidores: o que você precisa saber
abril 6, 2021

Quando e por que migrar do MEI para o ME?

Quando e por que migrar do MEI para o ME?

Em um país com mais de 11 milhões de MEIs ativos, é comum que parte deles precise migrar para o ME em determinado momento. Para descobrir quando e por que migrar do MEI para o ME, continue lendo o artigo.

A formalização como MEI é, muitas vezes, o primeiro passo para sair da informalidade e adquirir os direitos de empresa, principalmente por conta da facilidade que essa categoria tributária traz.

Hoje, é possível se tornar um MEI e obter CNPJ de maneira 100% online, o que faz com que o número de empresas nessa categoria cresça anualmente. Segundo o Portal do Empreendedor, o Brasil alcançou um total de 11,3 milhões de MEIs ativos em 2020, 20% a mais do que no ano anterior.

Outros motivos que atraem quem deseja legalizar sua operação são o acesso a serviços bancários para empresários, a possibilidade de emitir nota fiscal e participar de licitações, além do acesso a um modelo simplificado de tributação, por meio de um boleto único e com valor acessível.

Por outro lado, existem algumas desvantagens que podem se tornar limitantes quando a empresa começa a crescer, como a impossibilidade de contratar funcionários ou abrir filiais. Nesse caso, migrar para o ME pode ser a melhor alternativa.

Confira alguns motivos pelos quais o ME pode ser uma opção mais atraente para a sua empresa:

Quando o faturamento ultrapassar R$81 mil ao ano

No início, quando a empresa ainda é pequena e ainda busca o seu espaço no mercado, o teto de faturamento do MEI pode parecer distante. No entanto, uma média de R$7 mil por mês já seriam suficientes para ultrapassar esse valor. Sendo assim, quando o faturamento anual exceder R$81 mil ao ano, é necessário migrar para o ME, cujo teto é de R$360 mil.

Quando houver a necessidade de contratar mais funcionários

A lei reserva ao MEI o direito de contratar até 1(um) funcionário, ganhando até um salário mínimo ou piso salarial da categoria. Sendo assim, se a empresa sentir a necessidade de contratar novos colaboradores, migrar para o ME é uma opção, que pode contratar de 9 (comércio/serviços) a 19 (indústria) empregados.

Quando desejar abrir filiais

O MEI pode ter apenas um ponto comercial. Deste modo, se a empresa identificar oportunidades de negócio em outro local, ou simplesmente precisar de mais unidades para atender a demanda, é necessário alterar a categoria tributária, sendo a ME uma alternativa comum.

Quando houver a necessidade de contrair sociedade

Como o próprio nome diz, o MEI é voltado para aqueles que desejam empreender individualmente. Sendo assim, se houver o desejo ou necessidade de contrair sociedade, esta deverá migrar para o ME ou categoria tributária correspondente a sua nova realidade.

Como solicitar a migração

Existe mais de uma maneira de solicitar a migração do MEI para o ME. Para escolher qual é a melhor alternativa para a sua empresa, vale a pena conversar com um profissional contábil sobre os motivos da mudança. Isso tornará o processo de migração menos burocrático, além de diminuir significativamente as chances de erros.

Vale lembrar que não é necessário que o microempreendedor ultrapasse o teto de faturamento para solicitar a alteração na categoria tributária, que pode ser feita a qualquer tempo.

O ME também possui inúmeras vantagens, principalmente para empresas que não desejam limitar o seu crescimento. Se você deseja abrir uma empresa ou migrar do MEI para o ME, conte com o auxílio e suporte de quem entende do assunto, fale agora mesmo com um de nossos especialistas.